quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Confissões de um poeta

Não vou negar que sinto a sua falta.
Não. Não vou negar que me sinto como um pirata frustrado, que acabou de perder o tesouro que descobriu.
Mas sobrevivo como tantos outros. Como você. Sem mim. Enfim. É fim pra mim.
Não foste o que eu esperava. Foste justamente o que eu imaginava, algo que repudiava.
Foste indo, assim como me veio sorrindo.
Mas foste sem dor. Foste apenas com mágoas que hoje se anulam facilmente.
Por mais que tenha perdido uma riqueza, meu lado pirata aventureiro se encarrega de novas rotas.
De novos mares e tempestades.
De novos tesouros.

5 comentários:

  1. muito bonito! parabéns!
    se puder, passe no meu...
    www.naosoutaoruim.blogspot.com
    abraço!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo! Gosto do modo de como as palavras foram postas. Elas soaram leves e suaves e com emoção. Gostaria de saber escrever desse jeito..

    http://iampurplepineapple.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá, estou te seguindo, me segue também? http://eublogando21.blogspot.com/
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Adorei, de coração!
    Me fez refletir sobre os amores perdidos, tão perdidos que não voltaram mais, graças a Deus!
    Assim pude encontrar o tesouro mais belo que já tive até hoje, o qual faz nenhum outro ser tão valioso.

    Volto logo mais. rs
    Abraço!

    http://duda-duarte.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Gente, muito obrigada pelos comentários.
    Fico feliz de estarem gostando!
    :)

    ResponderExcluir